Destino Canela
Dias de expedição
1526
PortuguêsDestino Canela
EnglishDestino Canela
Destino Canela
Celebre o fim dessa incrível jornada! Compre já sua camiseta comemorativa.Clique aqui.
Blog
Entenda o projeto   |   Download do projeto completo (.pdf)

28/10/2011 - 9:32

Primeira entrega de garrafas

entrega das garrafas de água em Tua Pujet
entrega das garrafas de água em Tua Pujet

Na última semana, fizemos a entrega de mais de 50 garrafas plásticas para as donas de uma lojinha na cidade de Tua Pejat. As donas da loja ficaram muito agradecidas e falaram que vão usar as garrafas para encher de gasolina para vender, além de encher de água para o consumo próprio.

A gente sabe que não vamos salvar o mundo apenas com isso, mas estamos fazendo a nossa parte e queremos tentar passar essa idéia adiante, para que de pouco em pouco todos possam se preocupar mais com os problemas globais que afetam o nosso meio ambiente.

A campanha das garrafas de plástico continua até o final da passagem da Indonésia, e vamos sempre atulaizando o site com a entrega delas nos vilarejos. 

Publicado por Fauna ao Vento

8/10/2011 - 4:51

Programa Água de Plástico

foto retirada de um site indones, exemplificando trabalhos de reutilização do plástico
foto retirada de um site indones, exemplificando trabalhos de reutilização do plástico

A Indonésia é famosa por sua péssima qualidade de água. Nem mesmo os locais se arriscam a beber água da torneira, tornando a compra de garrafas plásticas inevitável, e assim a produção de lixo fica cada vez maior. Em boa parte das ilhas da Indonésia, o lixo é incinerado para não ocupar espaço, o que gera mais poluição ainda, neste caso, atmosférica. Quando queimam plásticos, a fumaça produzida mostra o quanto químico é esse material, pois sua materia prima constiui de petróleo. Se não reciclado, ou reutilizado, isso pode ficar na natureza por até 450 anos.

O Destino Canela junto com o Fauna ao Vento, quer tentar fazer sua parte, em uma região crítica da Indonésia. Na ilha de Sumatra, as pequanas ilhas das Mentawais, onde vamos passar quase dois meses, há, segundo nosso amigo Rasta, que já frequentou a região três vezes, uma grande reutilização das garrafas plásticas pelos locais.

Se pararmos um pouco para pensar, estamos em seis pessoas a bordo. Se cada um beber uma garafa de 1 litro e meio por dia, serão seis em um dia, em uma semana 42, e em um mês serão 168 garrafas consumidas. Se ficarmos dois meses, esse valor dobra para 336 garrafas. Essa é uma conta hipotética, mas totalmente viável, pois  estaremos abaixo de temperaturas que não baixam dos 25 gráus, e boa hidratação é um quisito fundamental. Temos dois galões de 20 litros de água cada um, que podem sempre ser reabastecidos, mas usamos essa água mais para cozinhar e tomar café, chá e chimarrão.

Vamos separar um local no barco onde iremos depositar as garrafas sem amassar ou quebrá-las, e assim que ancorármos em alguma ilha, entregaremos elas para a comunidade do vilarejo. Se simplesmente botássemos elas fora, junto com o nosso lixo comum, elas seriam incineradas, e o problema só aumentaria.

Vamos ficar atualizando nossas ações dentro do site para que todos possam acompanhar o programa e ver os resultados da iniciativa.

Esse é o Destino Canela, dando a volta e se preocupando com o Mundo!

Publicado por Fauna ao Vento

4/10/2011 - 0:15

Tartuga-de-pente

Mergulho com a tartaruga-de-pente na ilha de Gili Trawangan
Mergulho com a tartaruga-de-pente na ilha de Gili Trawangan

Nome científico:Eretmochelys imbricata

Tartaruga-de-pente

Enquanto estivemos ancorados na ilha de Gili Trawangan, tivemos o privilégio de poder mergulhar com as tartarugas-de-pente ou tartaruga-legítima, como são conhecidas no Brasil. É a segunda menor espécie de tartarugas marinhas no mundo, não ultrapassando 90cm e seu peso pode chegar até 150kg. Nessa ilha, o povo local faz uma bela campanha de preservação da espécie. Com três grandes aquários, preservam os filhotes das tartarugas, até eles estarem aptos a voltarem para água por suas próprias forças. A ilha é muito movimentada, e deixar os filhotes na areia seria um grande risco para sua sobrevivência.

A ilha de Gili Trawangan, fica localizada a oeste da região de Nusa Tengarra, na Indonesia. A tartaruga-de-pente foi trazida ilegalmente para ilha ha muitos anos atras, e a espécie se adaptou ao local, podendo ser vista facilmente nos mergulhos ao redor da ilha.

 

Habitat, distribuição e alimentação

As tartarugas-de-pente possuem uma espécie de bico na cabeça que ajuda diretamente na dieta da espécie. Por viverem, geralmente, em áreas tropicais entre os 25 gráus de latitude sul e 35 norte, seu habitat fica sendo os recifes de corais. E com o seu bico, facilita muito a captura de alimento nas fendas dos recifes. Sua dieta principal consiste em camarões, lulas, esponjas e anêmonas. Podem ser encontradas em todos os oceanos próximos a linha do equador. Ocasionalmente são encontradas em águas profundas, mas preferem ficar em praias rasas, perto da sua área de nidificação.

Reprodução

A maturidade sexual das tartarugas-de-pente é atingida entre os 25 e 30 anos de idade. Quando elas atingem essa maturidade, procuram a praia onde foram geradas, para sua nidificação. Esse processo ocorre geralmente no final da primavera, prolonga-se pelo verão, e termina antes do periodo de desova das tartarugas verdes (Chelonia mydas). Em lugares onde há grande abundância das duas espécies, pode ocorrer a desova da tartaruga-de-pente, depois das tartarugas verdes. Essa espécie sempre faz a sua desova na mesma praia, e seu ciclo varia entre 2 e 3 anos. O processo da desova ocorre durante a noite para se proteger e evitar a predação. O processo de nidificação dessas animais na praia é solitário, mesmo subindo em grupos. Os intervalos de desova variam, elas colocam em média 120 ovos em cada desova e o tempo de incubação da ninhada varia entre 45 e 60 dias.   

 

Curiosidades

- Essa espécie no status internacional esta criticamente em perigo de extinção. No Brasil ainda estão apenas em perigo de extinção.

- No Brasil esta espécie pode ser encontrada no litoral da Bahia e no litoral sul Rio Grande do Norte.

- Estima-se que ha cerca de 34mil fêmeas e idade reprodutiva no mundo todo.

 

Se você tiver mais interesse em conhecer o trabalho realizado na Ilha de Gili Trwangan, acesse o link abaixo e confira notícias e vídeos sobre a espécie!

 

http://www.gili-paradise.com/whats-new-detail.php?id=1261474423

 

PS: O site do tamar (www.tamar.com.br), foi usado como ferramente de pesquisa.

 

Publicado por Fauna ao Vento

11/8/2011 - 2:43

Spinner Dolphin

golfinhos nadando de barriga um com o outro
golfinhos nadando de barriga um com o outro

Golfinhos nadando de barriga um com o outro

Publicado por Fauna ao Vento

11/8/2011 - 2:09

Spinner dolphin

spinner dolphin expondo sua nadadeira dorsal
spinner dolphin expondo sua nadadeira dorsal

Stenella roseiventris

Spinner dolphin (golfinho rotator)
 

Identificação: O Spinner dolphin pertence ao mesmo grupo que os golfinhos rotatores que habitam a ilha de Fernando de Noronha, no Brasil. A espécie brasileira é chamada de Stenella longirostris, e se diferencia um pouco com esta espécie do pacífico por possuir um tamanho um pouco maior, a coloração do ventre ser um pouco mais clara, e, claro, pela separação geográfica. Ambos possuem a colaração cinza, porém a espécie do pacífico possue a tom mais rozado no ventre, o que justifica seu nome (Stenella roseiventris). A espécie não passa de 1,6m, e possui uma nadadeira dorsal bem pontiaguda.
 

Hábitos: O Spinner dolphin nunca se desloca solitário. A maior parte das vezes são vistos em grupos entre 10 à 100 indivíduos. Quando estão longe da costa, no período do crepúsculo são visto em bandos maiores pois é a hora da alimentação. Durante o dia podem ser vistos em grupos menores. Convivem tranquilamente com peixes, especialmente o yellow tuna (atum amarelo) e aves marinhas. Essa espécie pertence a um dos grupos dos golfinhos mais brincalhões de todos. Eles praticam saltos verticais até se chocarem com a barriga na superfície, fazendo levantar uma grande quantidade de água. Ainda costumam nadar esfregando a barriga um no outro, como flagrado em uma das fotos acima.

Reprodução: Os machos atingem a maturidade sexual entre os 7 e 10 anos, enquanto as fêmeas entre os 4 e 7 anos. A gestação dura de 11 à 12 meses, e o cuidado parental precisa ser feito por no mínimo 1 ano, mas pode chegar até a 2 anos

Alimentação: Costumam fazer suas caças de manhã cedo e de tardizinha (crepúsculo). Sempre em grandes bandos, procuram peixes que nadam pela superfície até uma profundidade que eles conseguem atingir (600m). Na falta de peixes, podem se alimentar de pequenos invertebrados, mas neste caso a caça precisa ser ainda mais intensa.
 

Ditribuição: O Stenella roseiventris distribui-se entre o golfo da Tailândia, passando pela Malásia e o norte da Austrália.

Dados sobre a avistagem:


Ocorreram duas avistagens da mesma espécie em dias diferentes

Data: 28/07/11 e 30/07/11
Horário: 13h 30min e 10h:45min
Local: S 11º 33’ E 129º 08’ e S 10º 97’ E 125º77’
Temp. água: 24.5º e 25.4º
Temp. atmosférica: 26º e 28º
Vel. vento: 15knóts e 5knóts
Dir. vento: ESE e SE
Características do clima: (28/07) Sol com poucas nuvens porém mar muito agitado. (30/07) Céu totalmente limpo, e mar bem calmo.
Visibilidade (5 “+” possíveis): (28/07) + + + + (30/07) + + + + +
Velocidade do barco: 5,8knóts e 5,1 knóts
Direção do barco: NW e NW
Dist. aprox. dos indivíduos: 2m e 4m
Dist. terra mais próxima: 54nm (Bathurst island) e 161nm (Kupang) (milhas)
Barco: Motorando e Velejando
Profundida: + de 500m e 240m

Avistagem: (28/07) Os animais se aproximaram da proa do barco, nadando de um lado para o outro, com movimentos bem rápidos. Subiam para a superfície da água apenas para respirar, mas não realizaram nenhum salto. Dava para ver eles brincando entre si, fazendo um comportamento típico da espécie de esfregar a barriga um no outro. Se afastavam do barco por alguns segundos, e voltavam. Havia cerca de 20 indivíduos e visivelmente se deslocavam rumo NW, pois conseguimos acompanhar eles se distânciando do barco. A aparição dos golfinhos durou cerca de 20 minutos.
(30/07) À cerca de 50 metros, conseguimos ver alguns golfinhos fazendo grandes saltos, exibindo suas nadadeiras caudais. Poucos minutos depois, aproximadamente 10 indíviduos circularam o barco por volta de 5 minutos. Não fizeram nenhum tipo de bricadeira, nem exposição dos membros, e se afastaram, sem consseguírmos ver para onde se foram.
 

Avistadores: (28/07) Amy, Bruno, Gustavo e João. (30/07) Bruno, Gustavo, João e Rasta

Publicado por Fauna ao Vento


1 a 5 de 17
Primeira | Previous | Próxima | Última






© 2007 Destino Canela - Todos os direitos reservados